Documentação para viagens

Documentação para viagens

Organizar previamente a documentação de viagem é fundamental para evitar problemas na véspera da saída e, principalmente, no destino.

- Passaporte: o ideal é sempre levar o passaporte com, no mínimo, 6 meses remanescentes de validade. Para retirar alguns vistos o mínimo exigido é 6 meses. É bom lembrar que: passaporte não se renova, faz-se um novo e que não é bom deixar para a última hora;

- RG e CPF: viajando para alguns países da América o Sul o passaporte não é necessário, apenas o RG (De acordo com o Portal Brasil aceitam RG de brasileiros: Argentina, Paraguai, Uruguai, Bolívia, Chile, Colômbia, Equador, Perú e Venezuela, contanto que a foto seja atual). Para os demais, passaporte junto a você o tempo todo. Nunca precisei de CPF para nada fora do país;

- Carteira de motorista internacional (Permissão Internacional para Dirigir – PID): sempre fizemos a permissão internacional, mas nunca fomos parados ou cobrados por ninguém em nenhum lugar que alugamos carro. Todo mundo sempre aceitou a nossa com o padrão brasileiro mesmo. Antigamente era mais complicado tirar, agora ela pode ser feita diretamente no DETRAN e é válida enquanto sua carteira de motorista for válida;
Leia mais em no site do DETRAN.

- Passagem Aérea: dependendo do destino, apresentar a sua passagem de volta é fundamental. São países reconhecidos por encrencar com isso: Estados Unidos, Canadá, Austrália, Espanha, Inglaterra, China;

- Reservas de hotéis: mesmo que você planeje ter um itinerário mais flexível, faça suas reservas de hotel para poder apresentar um roteiro na imigração. Uma vez estando no país mude seu plano como quiser (caso as reservas possam ser alteradas e remarcadas). Eu prefiro já chegar ao destino com hotéis definidos. Não gosto de chegar a algum destino e passar horas e horas procurando um lugar para ficar. Pelo booking.com consigo bons hotéis com bons preços reservando com antecedência;

- Reservas de carros: seguem o mesmo princípio das reservas de hotéis. Eu só não reservo com antecedência se for para um passeio de um dia. Para brasileiros é mais interessante fazer reservas negociando por e-mail e telefone (não pelo site) das empresas Hertz e Avis e pagando em real. O problema de reservas de carros é que o susto sempre vem na hora dos seguros. Verifique como seu cartão de crédito pode ajudar;

- Reservas de passeios: procure saber bastante sobre o seu destino e os passeios e lugares que pode fazer. Alguns lugares precisam de planejamento e reservas ou compras antecipadas com meses de antecedência. São exemplos: entrada em Machu Picchiu, acesso a coroa da estátua da liberdade, entrada na igreja onde está pintada a santa ceia… etc. Se você quer muito visitar estes locais mas vai tentar “a sorte” você vai se frustrar.

- Vacinas: alguns países exigem vacinas e estas devem ser tomadas com certa antecedência. A de febre amarela é a mais comum. O correto é pesquisar as vacinas sugeridas e exigidas por cada um dos destinos pelos quais você vai passar e toma-las, no mínimo, 10 dias antes da viagem. Guarde seus comprovantes de vacina junto com o seu passaporte;

- Seguro de viagem e seguro de saúde para viajar: alguns cartões de crédito e seguros de vida possuem coberturas internacionais. Verifique as suas coberturas e pegue orientações para utilizá-las. Não esqueça que para viagens a Europa o seguro é obrigatório e tem valor mínimo por causa do Tratado de Schengen;

Além disso tudo não esqueça de:

- Prescrições médicas (traduzidas, se necessário);
- Dinheiro;
- Cartão de crédito;
- Avisar o banco que você estará em uma viagem internacional para liberar o uso de cartão de crédito nos destinos;

Florence

Sobre Florence

Adoro viajar. Sério!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>